Adeus, efeito sanfona! Como não engordar novamente

Apesar do efeito sanfona ser muito usual, é plenamente possível vencê-lo, basta adotar as estratégias corretas.

efeito sanfona
efeito sanfona

Numa consulta com nutricionista, existem principalmente dois medos entre os pacientes: o primeiro é não conseguir emagrecer; já o segundo é voltar a engordar após ter emagrecido, o famoso efeito sanfona.

O medo do efeito sanfona é comum para qualquer pessoa que fez ou pensa em fazer alguma dieta e não tem nenhum problema, afinal, ninguém quer nadar… nadar… e morrer na praia.

O que é o efeito sanfona

De modo bem simples, o efeito sanfona é aquele temido engorda e emagrece. Ele geralmente acontece quando adotamos uma alimentação muito restritiva.

Existe uma dieta, por exemplo, que se chama “dieta da sopa”. Ela basicamente consiste em passar sete dias substituindo o almoço e o jantar por uma sopa.

A promessa é que o indivíduo perca cerca de 1kg por dia, portanto em torno de 7kg ao fim da semana, algo que brilha os olhos de muita gente.

Após comer sopa diariamente, a pessoa realmente tende a perder os quilos prometidos. O problema é que ninguém consegue continuar nesse padrão alimentar por meses e anos.

Portanto, quando a pessoa volta a almoçar e jantar com alimentos sólidos, a tendência é que ela volte a encontrar os quilos que havia perdido.

Isso acontece porque nosso organismo é sábio. Como ele estava passando por uma severa privação alimentar, assim que ele ver que a privação acabou, ele buscará acumular energia para não sofrer novamente - daí ocorre o aumento de peso. Isso acontece com a dieta da sopa ou qualquer outra dieta muito restritiva.

Principais consequências do efeito sanfona

A primeira consequência que merece destaque é a consequência emocional. Imagina você estar por muito tempo acima do peso. Anos e anos querendo emagrecer, mas não conseguindo.

Até que finalmente você descobre uma estratégia que te faz emagrecer vários quilos. Imagina a felicidade, a euforia, a autoestima indo a mil!

Porém, passam algumas semanas ou meses, você deixa de seguir a estratégia (afinal, é impossível seguir algo tão restritivo) e em pouco tempo você recupera todos os quilos que tinha perdido, às vezes até com acréscimos.

Imagina a frustração, a raiva, a tristeza. Quão maléfico isso deve ser para a saúde emocional de alguém.

A segunda consequência tem a ver com maiores chances de desenvolver doenças como diabetes, hipertensão e obesidade, segundo constatou o periódico médico americano  Journal of Clinical Endocrinology & Metabolism. Na pesquisa, os participantes que tiveram maior variação de peso ao longo da vida foram os que mais tinham diagnósticos das doenças citadas.

Isso possivelmente acontece porque quando o indivíduo perde peso de uma forma drástica, ele perde gordura, mas perde também, principalmente, massa muscular.

Já quando ele volta a ganhar peso, boa parte desse ganho não é de massa magra, mas sim de gordura. Portanto, a composição corporal fica totalmente desequilibrada, o que aumenta o risco do desenvolvimento de doenças.  

Como evitar o efeito sanfona

Como já dito, o efeito sanfona é  mais comum ao se adotar uma dieta muito severa. Por isso, a primeira dica (e talvez a principal) para não engordar tudo que emagreceu, é emagrecer de uma forma correta e equilibrada, progressivamente, sem adotar dietas malucas.

A segunda dica é não relaxar. Não é porque você conseguiu perder alguns quilos que agora voltará a ter a alimentação que tinha antes. Sinta-se feliz por ter alcançado seu primeiro objetivo, mas se lembre do quão difícil foi. Não vale a pena colocar tudo a perder, concorda?

A terceira dica é não parar de fazer atividade física. Normalmente quando comemos muitas besteiras ao longo da semana, é o exercício físico que “segura as pontas” e não deixa a nossa forma física regredir. Dessa forma, continue indo para a academia ou fazendo suas atividades físicas preferidas mesmo após ter emagrecido.

A quarta dica é controlar a ansiedade e o estresse. A correria do dia a dia, o nervosismo com o trabalho ou estudos e as dificuldades na família são gatilhos que podem influenciar sua alimentação. Na medida do possível, saiba lidar com esses sentimentos, para que eles não sabotem seus bons hábitos alimentares.

Por fim, a quinta dica é ter boas noites de sono. Ter uma boa noite de sono não é necessariamente dormir muito, mas sim dormir bem, com qualidade.

Se você tem insônia ou um sono muito leve, vale a pena tomar chás e usar outras estratégias saudáveis para dormir melhor.

Conclusão

Nesse artigo você aprendeu como prevenir o efeito sanfona e suas principais consequências.

Se você já sofreu com o efeito sanfona, qual foi a razão por trás? Foi uma dieta restritiva? Falta de motivação? Alguma outra coisa? Comente aqui embaixo!