Lucas Rodrigues
Lucas Rodrigues Nutricionista - CRN: 1 12229
ansiedade e alimentação
ansiedade e alimentação

Mas por que isso acontece? Será que tem fundamento biológico? Afinal, qual a relação entre ansiedade e alimentação? Você descobrirá a seguir!

Adpubbn

É difícil falar de ansiedade sem citar algo sobre alimentação. Por exemplo, quando uma pessoa tem crises de ansiedade, normalmente ela não tem desejo de ficar em jejum, pelo contrário, ela sente uma vontade enorme de comer.

Como a ansiedade afeta a alimentação

Falando de forma simples, a ansiedade é descrita como uma inquietação, angústia ou medo interior, causado pela antecipação de situações futuras.

Os sintomas podem variar bastante: falta de ar, insônia, coração acelerado, calafrios, diarreia e vontade exagerada de comer.

O interessante é que essa vontade exagerada de comer quase sempre é um desejo por alimentos açucarados ou gordurosos – ninguém sente anseio por uma tigela de salada.

O motivo por trás disso é biológico: como a pessoa está se sentindo mal com a ansiedade, inconscientemente ela busca nos alimentos um prazer rápido para fazê-la se sentir bem.

E adivinha? O açúcar e a gordura são duas substâncias que dão um prazer imediato, ajudando a liberar no organismo serotonina e endorfina, dois neurotransmissores ligados à sensação de felicidade.

Por essa razão, os alimentos preferidos costumam ser chocolates, sorvetes, refrigerantes, pizzas, hambúrgueres e batatas fritas.

O único problema é que além desses alimentos não serem nada saudáveis, o prazer que eles causam duram pouquíssimo tempo. Em poucos momentos a sensação ruim causada pela ansiedade voltará a aparecer.

Como lidar com a compulsão provocada pela ansiedade

Nutricionistas costumam dar algumas estratégias para diminuir a compulsão alimentar causada pelas crises de ansiedade. Entre elas estão:

1- Identificar os primeiros sinais de ansiedade (pensamentos, situações, emoções) e fazer algo que seja prazeroso, mas que não tenha a ver com alimentação. Por exemplo, visitar uma amiga, ouvir uma música, tocar violão, fazer caminhada ou um esporte, desenhar, assistir filme ou série, etc;

2- Prestar atenção na comida enquanto estiver comendo e mastigar lentamente, pois assim o corpo terá tempo de se sentir saciado e evitar a compulsão;

3- Não ter alimentos calóricos em casa, pois só a necessidade de ter que ir ao mercadinho comprar ‘besteiras ou ter que esperar o entregador chegar em casa já faz a pessoa ganhar um tempo para resistir ao impulso;

4- Evitar pular refeições ou ficar muito tempo sem comer, pois isso favorece os episódios de ansiedade e compulsão. Comer pequenas porções de alimentos nutritivos a cada 3 ou 4 horas é uma boa opção.

Como a alimentação afeta a ansiedade

Já vimos como a ansiedade afeta a alimentação, uma vez que ela é um dos fatores que causam a compulsão alimentar. No entanto, também existe a relação inversa: a alimentação pode piorar crises de ansiedade ou mesmo pode ajudar a preveni-las.

Isso acontece porque existem alimentos que naturalmente são estimulantes - que causam agitação no nosso organismo - e existem outros que são relaxantes - que promovem tranquilidade e bem-estar.

Podemos observar isso na nossa própria alimentação.

Muitas vezes consumimos determinado alimento ou bebida para melhorar a disposição. Outras vezes fazemos o contrário, queremos algo que nos acalme. Portanto, a alimentação pode ser um ótimo coadjuvante no tratamento da ansiedade.

Alimentos que pioram a ansiedade

Os alimentos que pioram a ansiedade são aqueles que têm alta quantidade de substâncias estimulantes. As duas mais comuns são a cafeína e o açúcar simples. Portanto, o ideal é que ansiosos evitem os seguintes alimentos:

- Café, chá preto, chá verde, outros alimentos ricos em cafeína, refrigerantes, biscoitos, sorvetes e doces em geral.

- Vale lembrar que bebidas alcoólicas também não são aconselhadas, pois elas tendem a desequilibrar os nossos níveis de neurotransmissores. Isso pode provocar crises de ansiedade no curto e longo prazo.

Alimentos que combatem a ansiedade

Por sua vez, os alimentos que combatem a ansiedade são aqueles que têm substâncias que ajudam na produção de hormônios ligados à tranquilidade, ao  bem-estar e à boa saúde cerebral.

Alguns alimentos:

- Peixes, ovos, banana, abacate, abacaxi, castanhas, amêndoas, aveia, linhaça, chia, pão integral, chocolate amargo e vegetais em geral.

Conclusão

Nesse artigo você descobriu a relação entre ansiedade e alimentação, viu os alimentos que pioram as crises de ansiedade e também aqueles que a combatem.

Vale frisar que a alimentação tem papel coadjuvante no tratamento da ansiedade, portanto, jamais exclua o acompanhamento do psicólogo ou psiquiatra. Alie as duas coisas!

Qual alimento você precisa evitar para melhorar as crises de ansiedade, mas não consegue? Deixe nos comentários!