DietaeDicas

Dieta anti-inflamatória para desintoxicar o corpo e reduzir a inflamação

Dieta antiinflamatória
dieta antiinflamatória

O princípio de uma dieta antiinflamatória é reduzir a inflamação, certas doenças crônicas associadas a isso, e reduzir o risco de obesidade, diabetes ou mesmo doenças cardiovasculares. Veja como esta dieta pode ajudar na saúde e principalmente para manter as pazes com a balança.

Nem é preciso dizer que, como parte dessa dieta, os alimentos processados ​​devem ser proibidos, enquanto os alimentos naturais são preferidos. Isso porque uma grande parte da ajuda ao corpo para combater a inflamação, envolve fazer as escolhas corretas de alimentos.

Ao evitar os ômega-6 e favorecer os ômega-3, assim como frutas e vegetais, podemos acalmar o corpo e preservar nossa saúde.

A inflamação crônica é a causa de muitos problemas de saúde. Artrite, asma, alergias, doenças cardíacas, câncer, doença de Alzheimer e até diabetes dependem, em parte, de nossa dieta.

A adoção de uma dieta antiinflamatória fornece ao corpo o máximo de nutrientes enquanto reduz a inflamação. Seu princípio é bastante simples e intuitivo.

Vários fatores promovem a inflamação crônica no corpo:

  • Consumo excessivo de gorduras e açúcares.
  • Um desequilíbrio da flora intestinal.
  • O estresse oxidativo: é o resultado de uma grande produção de radicais livres, moléculas instáveis ​​e prejudiciais à saúde.
  • Um desequilíbrio ácido-base: quando o pH do corpo é muito ácido (menor que 7) ou muito básico (maior que 7).
  • Um desequilíbrio na ingestão de ácidos graxos (muito ômega 6 e pouco ômega 3).

Refeições antiinflamatórias são a chave desta dieta

Alimentos antiinflamatórios
Alimentos antiinflamatórios

Alimentos antiinflamatórios ajudam a combater todos esses fatores. Seu papel é considerável, eles podem ajudar a reequilibrar a flora intestinal, "repovoando-a" com bactérias "boas". Certos alimentos ricos em antioxidantes, por sua vez, têm ação na redução do estresse oxidativo ou na manutenção do equilíbrio ácido-básico de acordo com a acidez que contêm.

A maneira mais fácil de seguir a dieta antiinflamatória é focar no que você pode comer, e não no que você não pode. Se você não sabe como fazer, siga esta pirâmide consumindo: Do nível 1 ao 3 em todas refeições. Do nível 4 ao 6 de forma moderada.

  • Nível 1 - Frutas e vegetais.
  • Nível 2 - Carboidratos e grãos inteiros.
  • Nível 3 - Nozes, sementes e óleos de cânhamo, abacate e azeitona.
  • Nível 4 - Soja e peixes de água fria.
  • Nível 5 - Ovos, aves sem pele e queijo.
  • Nível 6 - Chocolate amargo, chá verde, especiarias e um pouco de vinho tinto.

Melhores alimentos antiinflamatórios

Uma dieta saudável e balanceada rica em fibras, antioxidantes, vitaminas e ômega 3 pode ajudar a reduzir a inflamação crônica. Veja a lista dos 10 alimentos antiinflamatórios mais poderosos.

Frutas e Vegetais ricos em antioxidantes

A frutas são ricas em fibras e antioxidantes, portanto bons para a microbiota intestinal e para o equilíbrio ácido-base. Os frutos vermelhos (framboesas, mirtilos, morangos, groselhas, etc.) são particularmente úteis no combate à inflamação graças ao seu elevado teor de antocianinas, pigmentos com ação anti-inflamatória. Veja como fazer a dieta das frutas para perder peso.

Assim como as frutas, os vegetais são antiinflamatórios porque são ricos em fibras e antioxidantes. Os vegetais crucíferos são preferidos (brócolis, couve-flor, repolho, etc.).

Os vegetais mais ricos em antioxidantes são principalmente: cebola, alho, pimentão e vegetais de folhas escuras. Eles são ricos em carotenóides antiinflamatórios, vitamina K e vitamina E.

Peixes oleosos

Alguns tipos de peixes são ricos em ômega 3, que contém moléculas antiinflamatórias: Cavala, sardinha, salmão e até arenque são muito ricos em ômega 3.

Em relação às proteínas, é fundamental levar em consideração a qualidade do produto: ovos orgânicos fornecem mais ácidos graxos antiinflamatórios do que ovos de criação industrial, por exemplo.

Açafrão

Ervas e especiarias também contêm compostos que são úteis no combate à inflamação. Em especial o açafrão, suas propriedades benéficas são graças às suas moléculas ativas, os curcuminóides. Eles inibem uma enzima responsável pela produção das prostaglandinas, mediadores químicos na origem das manifestações inflamatórias (dor, dilatação dos vasos sanguíneos). Veja algumas opções de como tomar a Curcuma (açafrão).

O que evitar na dieta anti-inflamação

Óleos vegetais ricos em ômega 6
O que evitar na dieta anti inflamatória

O elemento essencial nesta dieta: gorduras. Mas não é qualquer gordura, evitamos ao máximo alimentos ricos em omega-6 ácidos gordos que são encontrados em:

  • Óleos de milho;
  • Óleos de girassol;
  • Óleos de amendoim;
  • Óleos de soja.

Assim como os ácidos gordos trans  (TFA), que são encontradas em alimentos processados e fritos. Farinha refinada, açúcar e alimentos com alto índice glicêmico também devem ser evitados porque aumentam os níveis de insulina e glicose, que promovem a inflamação. Veja como fazer uma dieta para desinflamar o corpo.

Escolha alimentos ricos em ômega-3

Uma vez eliminados os alimentos "ruins", dê lugar a todos os alimentos que nos fazem bem, especialmente as gorduras antiinflamatórias, ricas em ácidos graxos ômega-3, frutas e vegetais, que são incluídos entre os melhores alimentos para reduzir a inflamação.

  • Salmão;
  • Sardinha;
  • Arenque;
  • Anchova;
  • Linhaça;
  • Sementes de cânhamo;
  • Noz;
  • Azeite;
  • Abacate;
  • Óleos de noz e linhaça.

Saiba mais sobre: os benefícos do ômega-3 para saúde e dietas.