DietaeDicas

Dieta para desinflamar o corpo: princípios, vantagens, desvantagens

Dieta para desinflamar o corpo
dieta para desinflamar o corpo

Muitos profissionais de saúde acreditam que o excesso de inflamação é uma das causas comuns de várias doenças, incluindo doenças cardiovasculares e diabetes. Por isso a dieta para desinflamar o corpo foi desenvolvida, para reduzir a inflamação no corpo, melhorar a saúde e ainda ajudar a perder peso!

A dieta para desinflamar o corpo é muito semelhante à dieta mediterrânea, consiste em consumir no máximo alimentos do reino vegetal, peixes oleosos e não ingerir alimentos processados. Alguns nutricionistas também recomendam reduzir o consumo de alimentos alergênicos como ovo, trigo, amendoim, milho, soja e laticínios.

A dieta antiinflamatória foi desenvolvida pelo médico americano Andrew Weil, formado pela faculdade de medicina de Harvard, um defensor fervoroso da medicina integrativa, uma abordagem que combina a medicina alopática e complementar, para prevenir o aparecimento de muitas doenças.

Essa dieta reduziria a inflamação no corpo, porque se acredita, o fenômeno inflamatório ser a causa de muitas doenças, incluindo diabetes , certos tipos de câncer, obesidade e doenças cardiovasculares. 

Como funciona uma dieta para desinflamar o corpo?

O objetivo desta dieta é, portanto,  limitar o risco de desenvolver uma doença inflamatória com uma dieta rica em fitonutrientes, antioxidantes e fibras. Inspirado na dieta mediterrânea, esse método não exclui nenhum grupo alimentar. O modelo alimentar deve consistir no seguinte: 

  • 40 a 50% das calorias ingeridas devem ser provenientes de carboidratos (amidos);
  • 30% das calorias são fornecidas por lipídios ou ácidos graxos; 
  • 20-30% restantes vêm de proteínas. 

Carboidratos, gorduras e proteínas devem ser consumidos juntos em cada refeição de acordo com este princípio. É também uma dieta rica em frutas e vegetais frescos. 

Alimentos Permitidos

Alimentos ricos em Omega 3
Dieta Antiinflamatória

Certos alimentos são descritos como promotores de inflamação. Eles serão, portanto, evitados ou limitados tanto quanto possível. No entanto, outros alimentos devem ser preferidos: 

  • Azeite; 
  • Abacate; 
  • Vegetais com folhas verdes, como espinafre, couve e repolho verde; 
  • Sementes oleaginosas: amêndoas ou nozes; 
  • Peixes oleosos ricos em ômega-3: atum, salmão, cavala, sardinha; 
  • Grãos inteiros; 
  • Frutas e vegetais com destaque para os coloridos, como tomate, frutas vermelhas (morangos, mirtilos, cerejas) ou laranjas, por sua riqueza em vitaminas;
  • Alimentos orgânicos, tanto quanto possível, para evitar pesticidas. 

A dieta para desinflamar o corpo também permite o consumo de chá verde, chocolate amargo (70% de cacau no mínimo) e vinho tinto com moderação (não mais do que 2 copos por dia).  

Alimentos que devemos evitar

  • Açúcares refinados, como pão branco industrial e bolos; 
  • Comidas fritas;
  • Refrigerantes e outras bebidas acidificantes (vinho branco, café, álcool forte); 
  • Carnes vermelhas, miudezas e carnes processadas, como frios; 
  • Gorduras saturadas: manteiga, margarina, creme; 
  • Leite de vaca e queijos feitos com ele. 

Vantagens de uma dieta antiinflamatória

A dieta antiinflamatória segue recomendações nutricionais gerais. Não é hipocalórico nem desequilibrado e, portanto, não apresenta perigo para a saúde. É rica em vitaminas e bons ácidos graxos, bem como proteínas e carboidratos, por isso o corpo recebe os principais nutrientes de que necessita. Esta dieta permite uma alimentação saudável, mas sem se sentir privado. 

Desvantagens de uma dieta antiinflamatória

Como todas as dietas ricas em fibras, a dieta antiinflamatória pode causar distúrbios do trânsito, especialmente nos estágios iniciais. Pode ser benéfico aumentar gradualmente a ingestão de fibras para não apressar demais a flora intestinal.

Cardápio da dieta para desinflamar o corpo

Esta dieta antiinflamatória tem uma meta de 2.000 a 2.200 calorias por dia. Portanto, não é uma dieta de baixa caloria. Se todos os consumos forem respeitados, também não apresenta risco de deficiência porque todas as categorias de alimentos são consumidas.

  • Café da manhã: um chá verde, uma ou duas fatias de pão integral com abacate e um kiwi.
  • Almoço: salada de alface com beterraba e sementes de abóbora como entrada, depois um prato de arroz integral, tofu grelhado e espinafre em azeite de oliva e um quadrado de chocolate amargo para sobremesa.
  • Lanche: um punhado de amêndoas e uma fruta da estação.
  • Jantar: uma sopa de cogumelos e um embrulho de salada de atum.