Vacinação da Covid, é segura e eficaz?

Oxford, Pfizer, Coronavac, Janssen… Esses são os nomes que ultimamente não saem do pensamento mundial. Por que é tão importante se vacinar contra a Covid-19?

Covid-19
Covid-19

Com a chegada da pandemia de Covid-19, um dos assuntos que mais ganhou força foi o da vacinação. Há pessoas que são contras, entretanto, a única maneira para conter o avanço da doença é através da vacina. Médicos afirmam que a imunização é segura e eficaz.

Um dos assuntos que mais tem se discutido ultimamente é a respeito da vacina da Covid-19. Muitas pessoas têm se questionado se o imunizante realmente é válido e quais os efeitos colaterais que ele causa. Algumas pessoas deixaram de se imunizar por medo do que poderia acarretar. Entretanto, cientistas do mundo inteiro afirmam que as vacinas são seguras e a única forma de conter o avanço da doença em todo o globo. 

Entenda

Em março de 2020, uma notícia abalou o Brasil. A chegada do vírus da Covid-19 em terras brasileiras mudou nossas vidas completamente. Com o avanço da doença que até então era praticamente desconhecida, os comércios fecharam, as pessoas começaram a trabalhar de casa e as crianças ficaram sem ir às escolas. Como forma de conter o avanço do vírus desconhecido, cientistas do mundo inteiro passaram a pesquisar e criar vacinas contra o coronavírus. 

Foi em agosto de 2020 que as primeiras informações sobre vacinas registradas começaram a surgir. A vacina Sputinik V, fabricada pela Rússia, foi a primeira a conseguir registro. De lá para cá, diversos outros laboratórios passaram a registrar suas vacinas, Astrazeneca, Pfizer, Coronavac, Mordena, Jansen foram outras que também criaram seus próprios imunizantes. 

Em suma maioria, é necessário duas doses do imunizante para ter a proteção necessária, apenas a vacina da Jansen necessita uma única dose para fazer efeito.

Apesar das vacinas serem comprovadamente efetivas, muitas pessoas não tomam por medo das reações adversas, entretanto, são reações previstas pelos laboratórios e que duram cerca de 2 dias apenas. 

Por que vacinas causam reações?

Desde que começaram a usar vacinas para o controle de doenças, elas sempre tiveram reações. Algumas causam febre, outras calafrios, outras dor no local de aplicação, tudo vai depender do organismo de quem receber, algumas pessoas chegam a não sentir reações. 

Apesar de ser um pouco incômodo, são esses efeitos que demonstram que o corpo começou a trabalhar para criar imunidade contra a doença. O fato do organismo produzir células de defesa para combater o invasor, que no caso é o imunizante, acaba provocando febre e dor, entretanto por poucos dias. 

Vale ressaltar que a vacina não provoca a doença em si, visto que na composição são usados vírus inativados ou até mesmo enfraquecidos, portanto não é necessário se preocupar. Após a aplicação, o corpo deve criar anticorpos dentro de alguns dias.

Contra a Covid-19, os efeitos mais declarados até o momento foram febre, dor no local de aplicação e fadiga. 

Vacinas são seguras?

Respondendo a pergunta: Sim! Todos os imunizantes só são colocados no calendário de vacinação após inúmeras fases de testes, incluindo testagem em humanos. Além disso, testes de segurança são feitos com muita responsabilidade pelas fabricantes. Os cientistas responsáveis, ainda ficam monitorando possíveis efeitos adversos para correção.

Nos Estados Unidos, por exemplo, existe o Centro de Controle e Prevenção de Doenças, que inclui estudos sobre os programas de vacinação. Estima-se que em 30 anos, apenas 520 pessoas morreram por conta da vacinação, sendo que grande maioria foi por conta de uma vacina que já não era usada há mais de 30 anos.

Por outro lado, bilhões foram vacinados em segurança e milhares de mortes foram evitadas. 

Por que eu devo me vacinar?

Uma das únicas maneiras de se controlar o avanço de um vírus, principalmente daqueles que espalham rápido, como é o caso da Covid-19, é garantindo a imunidade de rebanho. Para conseguir isso, é necessário que boa parte da população esteja imunizada contra o causador da doença. Portanto, é extremamente importante que as pessoas se vacinem com o intuito de evitar que a doença se espalhe e sofra grandes mutações. 

Além disso, ao tomar a vacina as chances de infecção com o vírus ficam baixas ou praticamente nulas. Caso aconteça a infecção, ela será fraca, visto que o corpo já possui os anticorpos necessários para o combate. 

Segundo a OMS, cerca de 3 milhões de vidas são salvas ao ano por conta da vacinação. 

Focando na pandemia de Covid-19, lugares em que a vacinação já está avançada, o número de mortes e até de internações caíram drasticamente. No Brasil, por exemplo, em fevereiro o número de mortes por Covid-19, de idosos da faixa etária acima de 80 anos, caiu para menos de 15%. Nessa época, mais de 90% já haviam se imunizado. A mesma queda aconteceu dentre os profissionais da saúde, apresentando queda de 83% desde o início da imunização. 

Para a Covid, qual vacina eu devo tomar?

Com tantos imunizantes à disposição, muitas pessoas têm dúvidas de qual deles deve tomar. Entretanto, a comunidade médica garante que não é necessário escolher, afinal, todos que estão à disposição da população passaram por testes e são seguros. 

Ainda que o número da eficácia diminua de um imunizante para o outro, isso acaba sendo pouco importante, quando pensamos em uma vacinação em massa. Os números de pessoas que passam a desenvolver casos graves da doença caem, independente de qual foi a vacina aplicada. 

Profissionais da saúde não recomendam que tenha ‘escolha’ de vacina e sim que a população use a que tenha disponível no momento, isso auxiliará em um combate mais rápido e eficaz da Covid. 

FONTES

https://www.nexojornal.com.br/expresso/2021/05/16/Por-que-n%C3%A3o-faz-sentido-escolher-qual-vacina-tomar-contra-a-covid

https://www.biocam.com.br/por-que-eu-devo-me-vacinar/

https://www.nexojornal.com.br/expresso/2020/12/10/Por-que-efeitos-colaterais-em-pessoas-vacinadas-s%C3%A3o-comuns

https://www.bbc.com/portuguese/internacional-55500592 

https://www.unimedvtrp.com.br/as-vacinas-sao-seguras-por-que-devo-me-vacinar-e-vacinar-meus-filhos/