5 mitos sobre emagrecimento que você já acreditou

As dietas para emagrecer são sempre um assunto polêmico, isso porque a internet está cheia de informações que podem ser apenas mitos.

mitos sobre emagrecimento
mitos sobre emagrecimento

Os mitos sobre emagrecimento surgem por várias razões. Alguns deles já foram considerados verdade, mas depois de pesquisas mais profundas percebeu-se os equívocos. Outros, porém, foram simplesmente inventados.

Algum médico ou nutricionista deduziu alguma coisa, espalhou pela internet e pronto: milhares de pessoas passaram a acreditar em algo que não tem comprovação científica.

E você já acreditou em alguns dos mitos sobre emagrecimento que serão citados a seguir?

1) Perder peso e emagrecer é a mesma coisa

Muitas vezes usamos os dois termos como sinônimo, pois isso facilita as explicações. Porém, do ponto de vista semântico isso não é correto. Olhemos esse exemplo.

Suponha que determinada pessoa fez uma dieta legal, praticou exercícios físicos regularmente e, ao subir na balança, percebeu que seu peso está maior do que antes.

Por conta disso, essa pessoa fica desanimada, pensa que fez algo errado e até xinga o nutricionista.

Contudo, quando ela faz a avaliação física, percebe que a sua massa gorda diminuiu e a massa magra aumentou, portanto apesar dela ter ganhado peso, ela emagreceu.

“Como assim? Ela emagreceu e aumentou o peso?” – Exatamente!

Emagrecer significa perder gordura corporal. Por sua vez, perder peso pode englobar não só a perda de gordura, mas também a perda de massa muscular, massa óssea e líquidos corporais.

É por essa razão que não devemos focar apenas no número da balança, mas sim na composição corporal como um todo.

2) Dietas muito restritivas são eficazes

Talvez esse seja um dos mitos sobre emagrecimento mais perigoso. Dietas muito restritivas não são eficazes porque, além de não serem saudáveis, elas não são sustentáveis, ou seja, não duram por muito tempo.

Quem de nós consegue passar anos e anos seguindo um padrão alimentar extremamente restritivo? Dificilmente você verá alguém falando que só come frutas há 20 anos ou ver um idoso que não come carboidratos desde a adolescência.

Por quê? Porque: ou a pessoa não aguenta passar tanto tempo comendo apenas aquilo e desiste; ou a pessoa morre por conta de alguma doença provocada pelo déficit de nutrientes.       

Por isso que a reeducação alimentar sempre será a melhor estratégia para um emagrecimento a longo prazo.

3) Comer de 3 em 3 horas é o ideal para emagrecer

Você se lembra que antigamente quase todos programas da TV davam essa informação? Um tempinho depois é bem raro ver a mídia falando isso. O que acontece é que percebeu-se que existem várias estratégias para uma pessoa emagrecer com saúde. Comer de 3 em 3 horas é apenas uma delas.

Por isso é errado falar que ela é a estratégia ideal, pois devemos levar em conta a individualidade de cada pessoa. Por exemplo, se o indivíduo sente muita fome ao longo do dia ou tem tendência a compulsão alimentar, comer pequenas porções de 3 em 3 horas é excelente. Entretanto, se a pessoa trabalha o dia todo ou não sente muita fome, há estratégias melhores que podem ser usadas.

4) Comer carboidrato de noite engorda

Esse é sem dúvida um dos mitos mais famosos. É perfeitamente possível emagrecer comendo carboidrato a noite! 

Anota isso: um bom cardápio é aquele que distribui os nutrientes corretamente ao longo do dia, inclusive à noite.

Obviamente, a maioria das pessoas não têm necessidade de comer muito carboidrato no período noturno. Mas excluir de vez também não é necessário. O certo é comer a quantidade que faz sentido para sua rotina alimentar.

5) Alimentos lights/diets são menos calóricos que os demais

Por fim, o último mito sobre emagrecimento é mentira porque não é regra: nem todos alimentos lights ou diets são menos calóricos que os convencionais. O chocolate diet, por exemplo, é muito mais calórico do que o chocolate tradicional. Apesar dele não ter açúcar na receita, ele tem bem mais gorduras, tornando-se, assim, mais calórico que o tradicional.

O que significa um alimento light e diet? 

Alimento diet é aquele em que um nutriente é retirado totalmente da receita, como é o caso do pão sem glúten, do leite desnatado e do chocolate zero açúcar.

Por sua vez, alimentos light são aqueles em que há diminuição de 25% de algum nutriente, geralmente açúcar, gordura ou sódio.

Apesar de retirarem ou diminuírem algum dos nutrientes, o alimento pode não se tornar menos calórico, pois a indústria pode adicionar outros ingredientes para que  ele permaneça com um bom gosto. Esse é o caso do chocolate diet.

Por isso é importante observar as tabelas nutricionais e a lista de ingredientes dos alimentos, para não levar um “cavalo de troia” para a geladeira.

Conclusão

Nesse artigo você aprendeu 5 mitos sobre emagrecimento muito comuns aqui na internet. Conte-me: qual desses mitos você já acreditou? Deixa nos comentários!